Alimento vegano: é possível aumentar sua validade e qualidade?

De acordo com uma pesquisa encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e realizada em 2018, há 7 milhões de veganos no Brasil, o que corresponde a 3,2% da população e esses números tendem a aumentar, consequentemente, o mercado tende a se ajustar às demandas desse novo tipo de consumidor.
Segundo a Vegan Society, define-se veganismo “O veganismo é uma filosofia e um modo de vida que busca excluir – na medida do possível e praticável – todas as formas de exploração e crueldade contra os animais para alimentação, roupas ou qualquer outro propósito; e, por extensão, promove o desenvolvimento e uso de alternativas sem animais para o benefício dos animais, humanos e do meio ambiente. Em termos dietéticos, denota a prática de dispensar todos os produtos derivados total ou parcialmente de animais”.
Mas afinal o que é um produto vegano? Um produto é considerado vegano quando a matéria-prima utilizada não possui origem animal, os fornecedores não testam a matéria-prima em animais e a empresa não testa o produto finalizado em animais.


Por que é um mercado crescente?
Estão dentre os motivos para abandonar o consumo de produtos de origem animal a saúde, a sustentabilidade, o respeito pelos animais e o meio ambiente, fatores muito discutidos na atualidade, fazendo com que os indivíduos repensem sua forma de consumir cada vez mais. Os consumidores veganos buscam produtos que estão alinhados com os seus valores, então optam por empresas que os satisfaçam, assim, o mercado vê a necessidade de se adaptar à esse tipo de consumidor.

Mas como aumentar ainda mais a qualidade do produto vegano?
O produto vegano por si só já apresenta alto valor agregado devido a seleção dos ingredientes e a preocupação com o processo de produção, mas ainda pode-se agregar ainda mais valor com a aplicação de análises sensoriais (que investiga aroma, textura, sabor e aparência) e/ou microbiológicas (verifica-se se a quantidade de microrganismos presentes ao longo do tempo está de acordo com o limite estabelecido pela Anvisa) que têm o intuito de garantir qualidade ao produto, além de adequá-lo às normas da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância). É também a partir dessas análises que se pode estender o tempo de prateleira, evitando desperdícios.

Ficou interessado em aumentar a qualidade do seu produto? A Bioprox Jr. disponibiliza o serviço de shelf-life, o que inclui as análises microbiológicas e/ou sensoriais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.